Huno Emagrecimento

4 chaves naturais para curar eczema sem corticosteróides

Os cremes à base de corticóides que são prescritos para tratar eczema ou dermatite não só não os curam, mas que podem agravar o problema ou até mesmo provocar a médio e longo prazo.


De fato, um em cada oito afetados podem deixar de sofrer o eczema se deixassem de usar o creme, segundo um estudo publicado na revista Drug, health and patient safetypor uma equipe de pesquisadores japoneses.


Plantas medicinais


Tratar-Se-ia de pessoas afetadas do que é conhecido como “síndrome de abstinência, os esteróides tópicos”. A teoria é que, com o tempo, a pele torna-se “viciada” corticosteróides tópicos. No momento em que se deixa de usar o creme utilizado para tratar o eczema, dispara uma reação que piora o problema, o que leva a voltar a utilizar.


Como afetam os corticosteróides para a pele


Para entender por que isso está acontecendo, você tem que compreender primeiro como agem os cremes utilizados contra o eczema.


Os corticosteróides tópicos impedem as células da pele liberar as substâncias inflamatórias que se costumam produzir diante de uma reação alérgica ou irritação. Pretende-Se assim evitar a vermelhidão e a inflamação e, a curto prazo, são eficazes e podem melhorar o eczema ou dermatite. Mas, para isso, comprimem os vasos sanguíneos que irriga a pele.


Acredita-Se que o uso contínuo de cremes, durante anos, pode chegar a obstruir esses capilares e causar uma vermelhidão que se confunde com o eczema, mas que é, na realidade, um problema vascular.


Um efeito colateral conhecido como eritrodermia ou síndrome do homem vermelho que, muitas vezes, se confunde com um crescimento de dermatite por ter interrompido a medicação.


Cosmética natural


Os autores do estudo apontam que a semelhança das lesões de pele com dermatite ou eczema inicial faz com que essa confusão seja comum entre os dermatologistas, entre os que há resistência a aceitar e diagnosticar a síndrome. De fato, muitos colocam em dúvida que exista.


Algo que pode ajudar a diferenciá-los é que, em geral, a dermatite atópica afeta principalmente o pescoço, joelhos e cotovelos, enquanto que no vício corticosteróides tópicos estende-se para outras áreas do corpo (exceto as palmas das mãos e as solas dos pés).


Deixar os corticosteróides pode, a longo prazo, devolver à pele a sua aparência normal, em muitos casos, ou no pior deles, o de uma pele com dermatite atópica, mas sem o agravamento gerado por cremes.


Agora, o fato de que a retirada das cremes provocar inicialmente uma exacerbação de sintomas desencoraja muitos de tentar. De fato, esse “efeito rebote” pode durar de alguns dias a vários meses: a primeira fase cutânea segue-se outra de ardor, ressecamento e descamação, que pode ser de desespero, especialmente quando o único tratamento que ele oferece é retomar o uso de cremes com corticosteróides.


O tratamento do eczema de forma natural


Em Frente ao uso de corticosteróides, a medicina natural recomendam métodos menos agressivos, de tratar o eczema:


1. Mudanças na alimentação


Evite os produtos lácteos e aumenta as rações de alimentos anti-inflamatórios: linho, cúrcuma, gengibre, cogumelos…


2. Redução do estresse


Os surtos de dermatites associadas ao estresse. Aprenda técnicas de relaxamento e meditação e practícalas diariamente.


Em harmonia


3. Cremes naturais


Os cremes à base de aloe vera ou calêndula hidratam e amaciam a pele. Escolha um produto com uma certificação natural ou biológica.


4. Suplementos que ajudam


A suplementação com ácido gama-linolênico é eficaz em muitos casos. A homeopatia e a medicina chinesa também podem ajudar.

Huno Emagrecimento

Produtos para emagrecer naturalmente

Quando você se propõe como meta emagrecer, podem aparecer diferentes alternativas em produtos do mercado. É comum encontrar diferentes produtos para emagrecer, especialmente em lojas de alimentos saudáveis, ou mesmo pela Internet, mas algo muito importante que deve ter em conta, é que geralmente, estes produtos somente gozam de todas as suas bondades, mas não alertam sobre os possíveis efeitos colaterais que podem gerar.


Pode ser tentador para adquirir qualquer um destes produtos, especialmente para testar a sua eficácia e, se não, mudar para outro que possa lhe dar melhores resultados.


No entanto, para evitar qualquer efeito secundário ou negativo em sua saúde, apesar de ser promissores, você deve primeiro informar-se sobre os prós e contras de tais artigos.


Em seguida, apresentamos-lhe algumas das interessantes opções em produtos para emagrecer naturalmente, embora sempre recomendamos a consulta e supervisão de um médico ou nutricionista esportivo, sendo quem pode recomendar os mais apropriados de acordo com suas características pessoais.


Chá verde


Em muitas ocasiões, nós falamos dos benefícios do chá verde, que graças a substâncias como teanina, podem aumentar o metabolismo basal, bem como suprimir o apetite. Neste sentido, também é apropriado mencionar, que mesmo que beber chá verde pode ajudar a emagrecer, é importante não abusar do mesmo, evitando assim algumas complicações para a saúde.


Feijão


Especificamente falando do extrato de feijão, que também é conhecido como Phaseolus vulgaris; é uma substância natural que é comumente vendido em forma de suplemento. O extrato de feijão contribui para a decomposição de carboidratos no organismo, diminuindo a sua absorção.


Glucomanano


O glucomanano é uma substância extraída da raiz do konjac. Este é rico em fibra solúvel, que atrai a água e a transforma em gel durante a digestão. Alguns especialistas asseguram que o glucomanano, é capaz de suprimir o apetite, favorecendo a sensação de saciedade.


Produtos para emagrecer


Quitosana


A quitosana é um suplemento alimentar à base de quitina, que pode ser encontrado especialmente em carapaças de crustáceos, como no caso de caranguejo, camarão e lagosta. Apesar de haver poucas pesquisas sobre o uso da quitosana na perda de peso, alguns especialistas afirmam que pode lutar contra a absorção de gordura.


Vitamina D


A vitamina D é fonte de vários benefícios para a saúde, entre eles, pode ajudar a perder peso. Mas também devemos ressaltar que ainda existem alguns estudos que possam confirmar os benefícios, em concreto, neste aspecto, mas sempre é importante consumir vitamina D para a saúde em geral.


Resveratrol


Este é um antioxidante, que pode ser encontrado na pele das uvas vermelhas. O resveratol é um produto natural excelente para acelerar o metabolismo, assim como para prevenir o crescimento de células de gordura.


Capsaicina


Dentro dos produtos naturais para emagrecer, podemos mencionar a capsaicina, que pode aumentar o metabolismo, diminuir o apetite e reduzir a gordura.


Óleo de coco


O óleo de coco é rico em conteúdo de triglicerídeos de cadeia média, que serve para o aumento do metabolismo corporal, sendo também um excelente produto para emagrecer.


Laranja amarga


Um dos produtos mais famosos para emagrecer, é precisamente a laranja amarga. Esta pode estimular o processo de queima de gordura, aumento da pressão arterial, da frequência cardíaca, fatores que produzem o corpo a queimar maior quantidade de calorias.


Você pode encontrar todos os suplementos em um único suplemento, confira o Womax e combine com exercícios, que você terá resultados imediatos.


 

Huno Emagrecimento

11 coisas que você deve saber antes da sua dieta

excesso de peso-sexo

É possível perder peso dormindo pouco? Você Engorda comer rápido? E comer na frente de uma tela? Quais os alimentos que ajudam a emagrecer? Como afeta a perda de peso ao cérebro? Como são boas as dietas baseadas em proteínas (Projeto Fit 60d)?

Revemos 11 estudos científicos recentes que deverá ter em conta à hora de iniciar um regime para perder peso.

Projeto Fit 60d: O Projeto Fit 60D é, basicamente, uma proposta de plano alimentar com a duração de 60 dias. Garante que dentro desse tempo, quem o utiliza conseguirá ter emagrecido pelo menos 15 quilos. Mas, é claro, isso vai depende muito do tipo de seu metabolismo, como funciona seu organismo e de quantos kgs você de fato precisa emagrecer.

Iogurte e frutos secos. A longo prazo, comer iogurte e frutos secos de casca dura, como as nozes ou as amêndoas, ajuda a perder peso mais que a fruta ou os legumes, de acordo saía de um estudo realizado na Escola de Saúde Pública de Harvard e publicado na revista New England Journal of Medicine.

Sonho antigrasa. De acordo com um estudo da Universidade de Chicago, quando fazemos uma dieta para emagrecer, dormir durante toda a noite faz com que você perca mais quantidade de gordura. Concretamente, se reduzimos o nosso sonho apenas 5,5 horas perdemos o mesmo peso que depois de um sono de 8,5 horas, mas a queima de gordura é reduzido pela metade.

Contra os desejos, a imaginação. Um grupo de cientistas da Universidade de Carnegie Mellon (Pittsburgh, EUA) descobriu há pouco que, perante o desejo de comer chocolate e doces, imaginar tomando grandes quantidades destes produtos pode ser suficiente para acalmar o apetite.

Beber água para emagrecer. Um ensaio clínico apresentado durante um encontro da Sociedade Americana de Química (ACS, por sua sigla em inglês) revelou que beber dois copos de água antes das refeições ajuda a perder peso e combater a obesidade.

Se você come não navega. Comer na frente da tela de um jogo ou trabalhando com o computador, você pode aumentar o apetite ao longo do dia, promovendo o excesso de peso, segundo revela um trabalho publicado na revista American Journal of Clinical Nutrition.

Os perigos de tomar apenas proteínas. A Associação Portuguesa de Nutricionistas-Nutricionistas desaconselha-se vivamente o “método” ou “dieta” de emagrecimento proposto por Pierre Dukan já que não existem provas que sustentem que uma dieta com maior teor em proteínas ajuda a perda de peso e o consumo prolongado de dietas pobres em carboidratos e ricas em proteínas está associada com um aumento na mortalidade.

Dê pimenta… vermelha. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Purdue (EUA), a ingestão de pimenta vermelha (Caiena pode “ajudar a reduzir o apetite e queimar mais calorias do que o habitual depois de cada refeição, especialmente se não costumamos consumir esta especiaria regularmente”, explica Richard Head, co-autor do trabalho.

Atentos aos rótulos. Ler os rótulos dos alimentos que compramos nos ajuda a perder peso, de acordo com um estudo recente da Universidade Estadual de Washington, publicado na revista Journal of Consumer Affairs. As mulheres entre 37 e 50 anos são as que mais têm incorporado esse hábito na hora de fazer a compra.

Melhor passar um pouco de frio. Se continuares a dieta no inverno, não abuses de aquecimento. De acordo com um estudo publicado na revista Obesity Reviews, abusar de aquecimento no inverno pode estar contribuindo para o aumento da obesidade no Reino Unido, Estados Unidos e outros países desenvolvidos. Segundo os autores, reduzir a exposição ao frio reduz a necessidade de consumir energia para permanecer quentes e reduz a capacidade do corpo para produzir calor.

O Rápido ou lento? Comer rápido, em comparação com a fazê-lo lentamente, reduz a segregação de umas hormonas que provocam a sensação de estar “cheio”. A redução de tais hormônios nos levaria a comer em excesso e, portanto, a engordar, segundo um estudo recente.

Perder peso melhora a memória. Além de emagrecimento, quando você perde peso, melhora a sua memória e a sua capacidade de concentração, de acordo com uma pesquisa da Universidade Kent State (EUA). De acordo com Johns Gunstad, co-autor do trabalho, muitos facotres que acompanham a obesidade – hipertension, diabetes tipo 2, apnéia do sono – estão ligados a danos no cérebro, o que, para o pesquisador é lógico que, “se esses problemas desaparecem, a memória funcione melhor”.